foto_jaguaripe

A cidade abriga praias lindas, lugares históricos e de belezas naturais ímpares. Ideal para quem gosta de aventuras, Jaguaripe oferece passeios pela Mata Atlântica para os amantes da natureza e os mais diversos encantos históricos e culturais. A “Pérola dos Rios”como é conhecida está situada em uma faixa de terra entre o rio Jaguaripe e o rio da Dona, ambos navegáveis, um dos maiores habitats do peixe robalo.
Cercada por extensos manguezais que vão até a foz do Jaguaripe, seu principal atrativo é um santuário ecológico, com praias de areia alva, riachos, remanescentes de Mata Atlântica, canais de mangue e apicum, que abrigam pássaros, tamanduás, raposas, pacas, tatus e uma grande variedade de mariscos e peixes, resultado da mistura de águas doces e salgadas. O porto da cidade, a duas léguas da foz, é capaz de receber embarcações de médio calado.
Na língua tupi, Jaguaripe significa “rio da onça”. A extração da madeira foi a primeira motivação para a ocupação da região. O historiador e precursor do movimento bandeirante na Bahia, Gabriel Soares, era um dos poucos colonizadores a possuir engenho no Vale do Jaguaripe, no final do século XVI. O Arraial de Nossa Senhora da Ajuda surgiu no século seguinte, tornando-se a primeira vila do Recôncavo baiano que estaria mais tarde na rota de D. Pedro II, quando visitou a Bahia.

REFERÊNCIAS TURÍSTICAS

São importantes referências e destinos turísticos mais próximos: – Cacha-Pregos, na Ilha de Itaparica; – a Praia da “Ponta dos Garcês”, situada em frente a Cacha-Pregos, mas pertencente ao Município de Jaguaripe; – Maragogipinho – centro cerâmico da Bahia – A cidade de Nazaré das Farinhas; a “Praia da Tereza”, pertencente, também, ao Município de Jaguaripe; a “Praia do Guaibim”, em cuja estrada se localiza o Aeroporto Internacional de Valença.

HISTÓRIA

Rico de tradições, Jaguaripe tem suas origens ainda nos primórdios do século 17, formando com os municípios de São Francisco do Conde, Cachoeira e Camamú o que se poderia chamar a imagem mater da colonização do nosso Recôncavo.
Cite-se como fato ilustrativo dessa afirmativa, que, já nos idos de 1613, se erigia a sua monumental igreja e com ela se criava a freguesia de N.S. da Ajuda, da qual foi primeiro vigário o padre Baltazar Marinho, por designação do bispo D. Constantino Barradas. Foi elevada a categoria de Vila, pelo alvará Régio de 27 de dezembro de 1693. O município possui 5 distritos, incluindo a sede da Administração que é a própria Cidade de Jaguaripe.

LENDAS

Muitos fatos e lendas que envolvem o velho município, um deles pitoresco e dramático que resultou da construção do edifício da Casa da Câmara e Cadeia Pública cuja as despesas orçaram na época em 600 contos de Réis. Ao serem ditas despesas submetidas a apreciação do rei de Portugal, este se tomou de espanto e incontinenti, determinou a abertura de rigorosa devassa a fim de apurar e punir quem tanto havia roubado a sua Real Fazenda!

PARA CONHECER MAIS SOBRE JAGUARIPE, ACESSE O LINK ABAIXO!

anuncio1